• cacarecos de viagem

Os museus de Paris

Ahhh, os museus de Paris. Dá pra fazer uma viagem inteira só para conhecer o que Paris tem de melhor... 😎


Quem me conhece sabe que simplesmente amoooo museus pq sou alucinada por arte. E Paris é O lugar.


A verdade é que Paris tem um oferta imensa de museus de arte e conhecer todos em uma viagem é quase impossível.


A maioria desses museus são enormes e é impossível ver tudo numa única visita, por isso sempre vamos preparados com a lista das 10 ou 20 obras mais importantes e claro, entre uma obra e outra damos espiadinha no que tem ao redor.


Também, sempre que possível, preferimos pegar um áudio guide para não perder nenhum detalhe, mas quando não podemos gastar com esse pequeno luxo, usamos os milhares de sites para fazer uma breve pesquisa e entender com detalhes o que estamos vendo.


Vamos lá?


Louvre, o must go:

O museu é enorme, então tivemos que ir direto nas obras principais. Fizemos uma lista das top 20 obras e fomos dando uma espiada no que encontrávamos pelo caminho.

Pra mim o destaque foi a singela e delicada Vênus de Milo e a exuberância e imponência da Vitória de Samotrácia.


Claro que é impossível passar despercebida pela Monalisa. Eu diria que se a Vitória de Samotrácia é a deusa do museu, Monalisa é a grande rainha e dona da festa.

Outras obras que acho que valem a pena é a Liberdade Guiando o Povo, de Delacroix, obra que retrata iconicamente a revolução francesa e a Coroação de Josefine, a mina do Napo, por ser um quadro de proporções absurdamente exageradas com seus 6 metros de altura e 9 de largura.

Por ser tão enorme, não ficamos menos de 4 horas, para explorar uma pequena parte das obras...

#Dica: A manhã é o melhor horário para chegar quando as filas estão menores e o museu ainda não está muito cheio.



Dorsay, o queridinho:

Meu favorito da cidade. Esse fiz questão de explorar no detalhe, então acabei passando a manhã inteira lá dentro.

Não consigo escolher uma obra específica porque tudo me encantou, mas as muitas bailarinas deslizando entre os quadros de Degas encheram meus olhos de lágrimas...

Destaque tbm para os muitos Van Goghs que há no térreo.

Esse tbm é o museu que te deixa cara a cara com todos os impressionistas, de Monet a Toulouse, passando pelas festas ao ar livre de Renoir e as naturezas mortas de Cézanne.


#Dica: Como o museu foi construído em uma antiga estação de trem, o topo reserva uma surpresa: o relógio da estação. De lá é possível tirar fotos lindas do Sena.


L'Orangie e as Ninféias

Olha, tem muita obra legal nesse museu, que é bem pequeno e praticamente ao lado do Louvre.

O acervo inclui alguns Picassos e Renoirs, mas são as ninféias de 4 metros de Monet que arrastam as multidões até lá. E tudo bem. Elas são realmente belas. São duas enormes salas com 4 grandes telas curvadas com Ninféias pintadas no estilo mais impressionista de Monet.


O museu é bem tranquilo de andar, mas essas salas são muito cheias e quanto mais tarde, pior fica. A primeira vez fui, em um domingo de manhã, eu tive o Monet quase só pra mim, mas da segunda fui durante a semana a tarde e tinha fila até pra tirar foto... Fora as pessoas sem noção que ficam bem na sua frente te impedindo de ver tudo.

#Dica: Da última vez que estivemos em Paris tivemos a oportunidade de ir a Giverny conhecer a casa de Monet e ver as Ninféias pessoalmente. Essa dobradinha valeu a pena e foi inesquecível ;). Mas deixa isso pra depois...


Lê Arms e o seu cavalo branco

O museu das armas de Paris é enorme. É dividido em várias sessões e tem um páteo interno que rende lindas fotos. Antes de acessá-lo passamos na grande cúpula dourada onde está o corpo de alguns Napoleões.

O destaque pra nós foi o cavalo branco de Napoleão que está empalhado e vive lá. Isso mesmo. É meio macabro, mas fui lá pra isso. Encontrei o cavalo, tirei uma foto e segui passeio.

Ficamos lá tbm umas 4 horas mas dá pra ficar o dia todo. O museu é dividido em muitas alas e vimos canhões, armaduras medievais, e muitos muitos tipos de armas. Ficamos realmente impressionados com a parte das armaduras porque elas eram enormes e tinha até armadura dos cavalos.

#Dica: as entradas ao museu e ao maosoleu da família Napoleão são pagas, mas o acesso ao páteo é gratuito, então já dá pra aproveitar e tirar umas fotos bacanas.


Museu Rodin com Pensador mas sem beijo

Esse foi outro que não ia deixar de conhecer.

O jardim da casa onde o escultor morou é um grande museu a céu aberto e passamos 3 horas vendo tudo e parando para apreciar o local. Uma delícia porque chegamos no meio da tarde e o sol já estava dando uma trégua.

O pensador é sem dúvida o ápice da visita e por isso fica logo no início do circuito, que é bem livre. Mas não dá pra desconsiderar o restante do jardim que é simplemente ES-PE-TA-CU-LAR, incluindo a intrigante Divina Comédia: Uma grande porta feita de bronze com várias esculturas em alto relevo que mostram cenas do livro de Dante Alighieri. Em frente a obra há um binóculo para ver os detalhes de cada uma das cenas representadas. É bem disputado mas vale a pena esperar. De cair o queixo 😮

Procurei muito O Beijo, que é outra obra super famosa, mas ela não estava lá 😔

#Dica: como é no jardim onde estão as principais obras o ideal é passear por lá no final da tarde, quando o clima está mais ameno, principalmente no verão. Como não é um museu muito cheio da pra escolher o momento mais adequado para comprar o ingresso e aproveitar bem a visita.


Pompidou, o gigante de vidro

Ah, o museu de arte moderna e contemporânea de Paris! Não tem nada a ver com nenhum dos outros, começando pelo prédio. Ele é todo de vidro e tem uns tubos do lado de fora que abrigam as escadas rolantes para acessar os andares.

Confesso que achei meio confuso caminhar por lá, mas com jeito você se encontra.

Aqui me deliciei com muitos Modiglianis e Kandinskys, mas pirei em algo não tão conhecido que foram os cartazes de Cassandre. Fiz um trabalho na faculdade sobre as obras desse cara e estava tudo ali, bem na minha frente. Sem preço.

Outra coisa muito legal é o rooftop onde está um restaurante maravilhoso. Jantamos por lá e pudemos ver o lindo pôr do sol de Paris, a noite caindo e a cidade se acendendo pouco a pouco e a torre ficando toda iluminada.

#Dica: esperar o final da tarde para ver o por do sol é um show a parte que o museu proporciona. Vá até o rooftop, espere a tarde cair, veja Paris, com a torre, e tchau!


Infelizmente todas essas maravilhas são pagas e bem pagas por sinal. E tudo bem, porque o acervo é belíssimo e único.


Tirando o Louvre, não vimos fila em nenhum deles, o que é ótimo. Mas pra não arriscar, melhor comprar os ingressos pela internet, principalmente se tratando do Louvre que é muuuuito concorrido.


Todos os museus tinham banheiro e junto com eles muita fila. Portanto, paciência é o lema!


Where to next?

82 visualizações
Sobre nós

Somos um casal apaixonado por viagens e as experiências que trazemos no coração e na mala.

São muitas lembranças e cacarecos.

Dê uma espiadinha

© 2020 by Cacarecos de Viagem

Próximo Cacareco
  • Cacarecos de Viagem